domingo, 26 de dezembro de 2010

Minha poesia saiu de férias

 Arrumei a rima
sem rumo

Arruinei a rinha

Livre,  solta, a palavra louca
-a língua  no céu da boca

A lua cheia beija o céu
-viaja versinho no papel

Nada séria,
a ideia pingou aérea

Lunático verso eu quisera
-quimera

Meu verso clichê
de tanto mel, 
melou

Falso dossiê,
malou

Pouca mola
-não esticou

Mudo:
uma mula

Poesia sincera, azeda

Sensata, azara
Zero voto, se desenhar a cara desse país

Poesia inútil, que se

  apega em coisa particular
Intraduzível, fútil


Tipo insosso:
 palavrinha chula ou fria
Relógio mudo,
casa vazia

Dissabor de amor

mofa na prateleira
Poesia morta,
 torta



Cidade ou personalidade
repaginada em poema,
águia velha sem voo
Marulho, enjoo


Poesia, qual deve ser sua matéria?
A vaidade de quem  te escreve
ou a piedade de quem te lê?
O duelo das palavras 
ou o elo das?
Sua falência? Ou sua resistência?
Sua reinvenção? Ou não?


poesia cara de sapucaia

 milagre

 malabarismo
 maracutaia

 Meu poema de tanto poemar 
fadigou
bocejou
entediou

Meu verso-reverso

desparafusou


meu poema se safou
licenciou
escafedeu-se

escapuliu

conceber as rimas em outro clima...
volver as horas em anarquia...
recompor energia...


meu poema feriou


segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Dísticos lúdicos

Bucólico crepúsculo, fantásticas transmutâncias
Crédito impávido em calendário novíssimo

Altíssimo magnânimo, Lâmpada magnífica!
 Ômega em florescência, Ágape boníssima!

Têmpera harmônica, angélica paranética
Zéfiro lírico, sidéreo feérico

Rútila resplandescência, êxule lágrima
Benevolência-essência, êxtase anímico

Pássaro lépido no límpido zênite
Fôlego mágico, química mística
 
Intrépidos propósitos em proparoxítonos tônicos
Frêmitas idéias em áltimos píncaros

Louvaríamos em cânticos e poéticas épicas
Balsâmico sândalo: o amor oxítono 

sábado, 18 de dezembro de 2010

P'ro ano nascer feliz

A vida é velha, o ano é novo
Serve e segue. Semeia e colhe
Persevera. E recomeça

Avante e sempre. Já, sem demora
As velhas mazelas, e a velha vida...
Mas reinicia. E doma o destino

A dieta, a dívida, a dúvida
Arrumar ou arruinar a rima...
Viver à margem do juízo 
ou além da lenda...
Retoma o leme. E reanima

O velho rejuvenesce
O trabalho compensa
O tempo urge
O amor faz valer viver

Creia -apesar. E caminha
Forte, mas sereno
Poderoso, mas humilde
Vencedor, mas grato
Conquistador, mas fiel

Determines:
as causas e os efeitos
as ações e as reações

 Toca o barco

Eleja
suas glórias e suas escórias
Seus atinos e seus desatinos
Suas searas e seus saaras

Dita para si tuas regras. E acorda cedo

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Feliz Natal!

Feliz Natal, alma querida!
Nasce Jesus em amparo a tua lida sofrida
Crê no remanso - a lágrima  um dia finda
Breve é a despedida, veloz e veraz é a vinda
Vindouro o resgate- sê firme- mesmo que tarda 'inda
Até do sepulcro jubila linda a vida...

Feliz Natal, querida alma!
Cristo renasce espargindo luz alva
Dedica-te àquilo que te restaura a calma:
a benfeitoria te eleva com alegria,
a oração te enleva em paz divìna,
o amor sublima a dor
Com o crepúsculo cresce um sombreado reparador
Aurora ourada ressurge áurea em esplendor...

Feliz Natal, criatura almada!
No presépio sonha ressonada
a esperança, encarnada em criança iluminadora e iluminada
Jesus é cajado e bordão, ó alma amada
No servíço do bem, vinga a vida serenada
Se a folha amarela cai, viceja outra mais verdejada
Contempla-nos a eternidade com a perfeição de Deus glorificada...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Na paz

A plena paz, a calmaria
vem da boa companhia

A paz perene vem
 para a mão estendida
de quem pratica o bem

Paz perfeita tem

quem semeia o trigo na terra
e compartilha o pão também

Paz manada do Céu...
momentos de alento...
Ao que ora ao Criador,
 desce luz consoladora de dor

O que faz valer viver?
O convívio com o  irmãoamigo
É uma mão, é uma mãe, é um terno abrigo,
esse que contigo
resplandesce a candura do Criador
-paz em esplendor!

 Na natureza
a paz vem na delicadeza:
que beleza primaveril
exala da flor da laranjeira
branquinha-maravilhil...
 
Que brandura emanada
de um amor (eterno amor)
e de uma alma pacificada...

A paz, o prazer, fluem em caudal
para quem louva ao Salvador
com melodia angelical

A chuva germina a uva
A uva adocica a vida
Canta e dança a patativa
-na paz
ofereço este poema para Alcinéa Cavalcante, pessoamiga

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Poema sonhador

O mel desregrado,
o pé de cajá carregado,                                                          
a macaxeira quentinha,
a coalhada docinha,   
o pão da fruta,
a fruta-pão,
o vinho do açaí,
o suco de murici,
o tambaqui, o taperebá,
o assado tamuatá,
o pomar coberto de bago,
o cerrado repleto de gado,
e no lago, os cisnes...

E a rua livre e linda,
a casa leve, limpa,
a horta verdinha,
a praça bem ventiladinha,
a água cristalina,
a chuva fresquinha,
o jardim de cheiro bom,
a paz da noite sem som,
um retiro, um recanto,
o pássaro e seu canto,
e o encanto dos rios...

A amplidão dos lugares,
a sosseguidão dos palmares,
as baleias saltitantes nos mares, 
o aroma dos bosques nos ares,
a sombra da bacabeira,
a floração da paineira;
e a natureza  que a todos sustenta,
e a fartura que a todos alimenta;
e nossa benevolência na distribuição,
e nossa consciência na preservação,
e os animais sob nossa proteção,
e a humanidade em comunhão,
e na contra mão, a morte...
             

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Inimigos do formol

Preserve-se
tenha medo de (doidamente) se arriscar


Morra velhinho 
num cadáver desagradável de se olhar


Ao sopro de vida, se agarre
 Acorrente-se aos que ama
 Aos bens que ganha, se amarre


Conserve-se
'inda é verdeazul este céu-mar
E ainda é seu esse lugar


Alegria antioxidante

Amigo, és meu céu!
Longe de ti, a vida amarga feito fel

Verdadeiramente amigo
é quem está sempre comigo

Amigo... é aquele que fala pouco e diz muito

Ouve complacente o que o outro sente

Transforma triviais momentos em grandes acontecimentos

Amigos... melhor que faze-los, é mante-los
Melhor que guarda-los, é vivencia-los

Amigo presente, alegria de saltimbanco
Amigo ausente, coração ao solavanco

Conhecemos alguém
pelos amigos que se tem

Quem compartilha o que tem
multiplica os amigos que vem

Feliz é quem tem muitos projetos e muito mais afetos

Feliz do quem tem um alento 
no mais dramático momento

A vida dá um nó 
para quem vive só

Esses anjinhos que amenizam as desventuras, os desatinos, as destemperanças...
 Se ainda há amigos, ainda há esperanças!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A gratidão em oração

-->
A luz dessa manhã nos foi concedida  -obrigado, Deus!
As dádivas divinas mais uma vez manaram : 
a alma para as crianças que encarnaram,
o viço para a vinha,
a semente para os pássaros,
a água para o rio,
o transcorrer para o tempo -obrigado, Deus!
E para a rosa, exalou o perfume,
e para os namorados, deslumbrou o pôr-do-sol,
e para a sombra, brilhou o farol,
e para a alma sem alegria, coloriu o atol  -obrigado, Deus!
E do pecado veio o perdão,
e da moléstia, veio a unção,
e do martírio veio o galardão,
e da agonia, veio tua mão, 
ó Jesus, Ser de Luz,
que providencia, que abastece,
que verte, que derrama, que transborda,
com teu dom sustentador,
com teu vigor renovador,
com teu poder desatador
Ó Pai que ampara,
ó Filho que abriga, -obrigado!
Novamente manaram Vossas doçuras de amor!


segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Anjo bom

-->
Mãe  
áurea clara
terna amiga
rosa rara


Mãe, a maior das virtudes,
a mais pesada das cruzes


Mãe profetiza
-tudo o que pressente se realiza


Mãe da prece de luz
acolhida por Jesus


Mão de mãe,
fonte geradora:
de sementes
de rebentos
de botões
de flores
de frutos


Mãe-amor
riqueza duradoura num corpo perecível
Templo de Deus
Bondade inexprimível


Mãe-paixão
que enaltece nosso êxito
que amortece nosso fracasso


 Mãe  
   do cheiro bom,
  do brando tom


Menina feminista
Fêmea feminina
Cheiro de flor 
Frescor de água cristalina


Minha mãe, minha mão direita 
-e esquerda


Mãe, precisei envelhecer para aprender a te agradecer
...agradecer
agradecer... 

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O amor - em todo seu esplendor




Amar é trocar nossas almas
e ver com teus olhos

vivenciar num dia normal
uma alegria descomunal

transformar pequenas ações
em grandes paixões

perdoar os pormenores
e valorizar feitos maiores

algo mais sensacional
que desvendar um mistério abissal

ver a luz no fim do túnel
ver o fim de túnel sem luz

sorver com ardência
cada gota de existência

amar é me cuidar,
por um longo tempo quero acompanhá-lo

amar é te cuidar,
para que a humanidade possa desfrutá-lo

não é demais
amar-te cada vez mais

amar é de graça
e é toda a graça

Quero me entrelaçar ao tempo infindo doravante...


Tão desumano seria te amar
   apenas neste mísero instante!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Pra levantar da rede

Cresce mais quem pensa, crê, e sobretudo, faz 

Se quer realizar um sonho,
espante o sono

Quem não conseguiu o que desejava
é porque desejou pouco

Vida nova a cada amanhecer...
e o que ainda não foi poderá vir a ser

Os limites desencorajam, 
mas as possibilidades animam

Fogo e ar

-->
Amor e paixão

Bom humor e rumor de dor



Paz celestial e guerra infernal

Absinto e labirinto

O uno e o dual



Amor e paixão



A gênese e o fim do mundo

Uma Shangri La e um poço sem fundo

A última trincheira dessa guerra

e a última guerra dessa trincheira  



Pomba atônita e bomba atômica

Vida real e viagem no espaço sideral



Entrada e saída

Sonho e insônia

Início e final



Mas se a paixão e o amor se fundem

desata a alma insana a doer

Ânsias loucas, desejos absurdos,

o corpo em frangalhos. Que fazer?

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Na paz

Felicidade     não      é      vender      a      alma,      é       viver      na      calma


Sinta-se zen
se inspirando no bem


Cuide do corpo e da mente
Quem não guarda tempo para si
  acha tempo para ficar doente


Viver     não     é       só     trabalhar,      só      trabalhar     não     é      viver


                            As vezes, fazer nada é tudo       
                                                                       e fazer nada não é deixar de fazer tudo



 Somos filhos do Criador
e possuímos a centelha de Seu esplendor!

domingo, 17 de outubro de 2010

Fonte perene

Amizade, solidariedade...
Um ser se torna humano
 no caminho da bondade

Amizade é...
o fundamento de humanidade

Uma florzinha singela e bela

Um momento muito inspirador
do Criador

Amizade escolhida,
tristeza esquecida


Amizade-claridade,
solidão-escuridão

És o farol na noite, amigo, a luz no dia
O sol que aquece, o vento que resfria


Toque de amor
que amortece a dor...

Um anjo que dá a mão 
para fugir da escuridão

Tu adoças com mel
este mundo fel
Tu repartes o pão 
neste mundo cão

No ombro amigo se refugia
-e não importa se o tempo nos levará um dia

Amigo que salva da depressão...
e nem aí se ainda não se explicou a criação

De todo um existir,
amigo,  és a razão

Amigo, és tu...
uma perfeição!


-dedicado a meu filho Pedro-


segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Dos amores eternais e das coisas essenciais




Amor e não-dor,
forças dependentes e congruentes
Para quem ama
cada manhã é lindo dia pra se viver
Para quem não ama
cada noite traz o tempo de morrer
O amor nos ajuda a sobreviver
-mas poucos sobrevivem ao amor
Amar é para todos
-mas nem todos merecem o amor   
Amar é invadir sem pilhar
É te ter, sem te levar
É partir, e saber a hora de chegar
Amar não é comprar, é alugar
Amar é voar para bem longe...
e ao morrer de saudades,
saber voltar
O amor não é apenas um final feliz,
é felicidade em tempo real
     É  o  amor!   Um   início   sem   fim...