sábado, 25 de setembro de 2010

poema dilema

Quem ama se lança
  numa teia de esperança
 
Quem ama é planeta habitado
Quem não ama é sol apagado
 
O amor está no ar,
o amor está no mar...
 
 Amar ou não amar...  

Afagar-se ou afogar-se no mar...
 
Quem ama, ama a chuva e quase tudo
Quem não ama, a chuva alaga e quase nada 
 
Quem ama, sonha,
cai da cama, cai na real
e recomeça tudo igual
 
O amor nos engana
-mas tenho pena de quem não ama
   
Quem ama vai sobreviver
e quem não amar vai morrer

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

A partilha

-->

Fanatismo é falta de amor próprio.

Egoísmo é excesso de amor próprio.

Altruísmo é O AMOR propriamente dito.




As pessoas que exalam bondade

são chamadas de humanidade.



Ajudar o mundo todo é implausível

mas dar a mão ao próximo é factível


  Na bolsa de valores humanos
                                       se sobe a benevolência ,
                                                                            baixa a violência.




É imperdoável não ser amável ...

A bondade
é a maior virtude da humanidade


Ajude a melhorar o mundo,  

melhorando-se


Vocêfazpartedeumtodo
onde nem todos tem tudo



Você é um ser único,
mas não é o único ser

A vida é um ciclo:
receber, absorver, devolver ...


Dê um pouco de si

e os sinos dobrarão por ti
    



Seja feliz 
                              - mas deixe o outro ser feliz! 


(poeminha para Vanessa e Larissa, sobrinhas)

domingo, 12 de setembro de 2010

Flor de ipê

-->
-->
Mãe:

estrela guia
 
Farol que vigia

na noite e no dia  




Mãe, madona, manancial  




que quando luta, luta bravamente

que quando canta, canta alegremente

que quando sonha, sonha livremente  




Mãe que esquece de si, mas de você já se lembrou

que só de alimenta se você já se alimentou

que só dorme se você já chegou

que te doa mais do que ela ganhou  




Mãe que acha que tudo vai bem

quando tudo vai mal  




Mãe que transfigura sombras em cores

num quadro belo e irreal  




Mãe de coragem,

que fala o que precisa ser dito,

que faz o que tem de ser feito  




Mãe da força infindável...

mãe do amor que torna a vida suportável


sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Lá vem o céu passear na Terra, lá vem a vitória da paz sobre a guerra -lá vem o amor!

Amor é 
a luz da luz
a paz da paz
a vida da vida

Dos olhos, o brilho
do corpo, a alma
de um regaço, a calma

Amor é...
mais que chama, é sol
mais que orvalho, é torrente
mais que sombra, é existência
mais que desejo, é força arrebatadora

O amor é sempre o vencedor:
se um homem corroi o mundo com violência
vem um bilhão e o reconstroi com a benevolência

O amor transforma...
a humildade em grandeza
o arrependimento em pureza
o impossível em realidade
o sofrimento em bondade
o erro em evolução
a dúvida em direção

Esse amor edificador,
que nos torna deuses entre os homens...

Esse amor sustentador,
que dá sentido à vida humana...

Tudo que vem de Deus é amor fraternal
Tudo o que não é amor é banal

Amar é trazer o Céu para a Terra,
é elevar a Terra ao Céu

Paraíso onde nos espera Jesus
éden de esperança, nirvana de luz!

Amar é se lançar a eternidade
junto ao Criador da humanidade

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Fazendo diferente

 
-->
 Viaje na fantasia
Só razão dá apatia 


Tudo vem na imaginação         Pés só no chão é prisão  



desligue as luzes               Ligue-se às estrelas

  

  transforme a mudança
 
mude a transformação  


   nunca diga nunca não!

  ESPERE NA ESPERANÇA...




Sonhos não envelhecem
Envelhece  quem deixou de sonhar

Rainha

-->
                                        -homenagem a Cecília Meireles


Cecília Meireles:

rosa eterna, murta imortal!

Aroma de fruta, incenso e flor

Da confidência e da Inconfidência

Do passado, da saudade, da dor 




A solidão em meio à multidão,

é Cecília

Maria e seu doce bom dia,

é Cecília 




Nos mares, nos vales, no tempo, no vento:

lá vai a Cecília 


Meninos felizes na escola estão lendo

(lá vem ela) 




Em teu espelho é que o trovador procura, Cecília:

tua face

teu brincar

teu pomar

teu poemar

e o teu poetar eternal

(nunca mais outra igual) 




Nem alegre, nem triste, poeta:

é a nossa Cecília...

Palavras do Poeta dos Poetas

--> -homenagem a Carlos Drummond de Andrade


Que quer a morte? Sorrir-nos

Que quer a alma? Romper-nos

da matéria tênue do universo

e do belo câncer do verso  




Que quer a saudade? Tragar-nos

Que quer o tempo? Deter-nos

em sua teia estranha

A mosca deglute a aranha  



Que quer a poesia? Consolar-nos

Que quer o amor? Arremeter-nos

num mergulho no nirvana

e numa faca pernambucana  




Que quer a fogo? Encantar-nos

Que quero eu? Endoidecer

na poesia que tu, Drummond compuseste

Na tua canção rara, flauta e celeste

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Fazer acontecer


 Vem a vida em nós vingar
Resta-nos sorrir
-ou tanto faz chorar

Brota voraz em floração
Resta-nos labuta
-e menos ilusão

É contra as leis do universo
permanecer sem verso
-na verdade, sem movimento

Tudo nesse mundo conspira
para nosso madrugamento

Levante cedo, planeje, aja,
realize, evolua, se encoraje

Nessa via-crúcis
muitos poderão ajudá-lo
mas ninguém irá carregá-lo

Boas ideias e intenções é o que se vê mais
mas mente brilhante é a que corre atrás

Detone este medo de perder
que tira a vontade de vencer

É preferível errar do que tentar

É melhor uma decepção a omissão

Sucesso é a coerência
entre o insight cerebral
e a movimentação corporal!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Para sempre amor


Amando

somos como palmeira centenária em floração

que assiste a passagem de cada geração



Amando

somos como rocha que resiste a mais de bilhão

ou a velha águia, em constante renovação


Amando

somos cedros-do-líbano majestosos
 

plantados no alto dos montes

lançando ramos frondosos ao ar

onde os pássaros vem aninhar




Dia lindo sem noite

Ar fresco, sem frio
 

Vida plena, sem vazio


 


Somos  sustento e alento



O caminho certo

O carinho no momento incerto



Amando

emanamos o bem

derramamos luz

espalhamos paz

espelhamos fé


Amando somos montanha inabalável

Amando somo espaço imensurável

NO STRESS


Viva em mansidão 
os problemas no tempo se perderão  

Viva sem medo e se o pior ocorrer, apenas morreste mais cedo  

Nossa vida contém problemas mas os problemas não devem conter nossa vida  

Transforme a paz em realidade transformando a realidade em paz  

Felicidade é a paz que todo dia vivenciamos mas não valorizamos  

Os problemas morrem na breve vida A paz nasce na longa eternidade