segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Inimigos do formol

Preserve-se
tenha medo de (doidamente) se arriscar


Morra velhinho 
num cadáver desagradável de se olhar


Ao sopro de vida, se agarre
 Acorrente-se aos que ama
 Aos bens que ganha, se amarre


Conserve-se
'inda é verdeazul este céu-mar
E ainda é seu esse lugar