quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O amigo, a amiga

Faz dos nossos caminhos, veredas
Desfaz nossas aflições, ergue fortalezas
Põe o riso em nossa boca
Seca a mágoa do nosso olhar
Elucida o que não vemos
Ensina-nos a ser puro e reto
-o amigo certo

Amiga,
da tamanha confiança
vertida em esperança
Tamanha sapiência
vestida de humildade
Tamanha fé
removedora de montanha
Colo, abrigo e ninho
-precisamos desse carinho

Alma boa
que se doa
(arco-íris que ao céu doura)

Amigo,
afeição em brasa,
branda/branca luz
Braço atenuador de dor
Sol ao meio-dia clareador

Hosanas ao teu coração,
amigo, amiga,
apoio na luta,
amparo na lida

Vem consolando nosso fardo,
redimindo vem,
alentando...
palavra que refresca como hortelã
Mão que reparte a maçã
Jaçanã que enternece a manhã

Nossos amigos:
o belo do mundo,
a paz dos dias
O amor, a amora -tudo doce
Cravo e canela -se aroma fosse