terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O que é o amor

Mel .Não fel
Beleza, glória, primavera, eterno bem
Tempo de rir
Tempo da paz
As colheitas fartas...

Vem na mão que esmola, na prudência,
 no limite, no cuidado
Na palavra branda
Na boa intenção
No colo ardente,
no consolo bendito
Na caridade que sublima a dor, vem
-e  no espinho que avulta a flor


Rios de piedade
Constelações de perdão
Esperança que revigora
Força branda que acolhe
O ensinamento, a perseverança, o norteamento
Pão para a fome
Ar para os pulmões
Firmeza para os pés
Espaços infinitos para os sonhos
Canção para o coração aflito
A luz para cada sol
Lírios cheirosos para cada alma

Coisas agradáveis: 
delicados manjares, 
hortelã fresca,
abóbora com caruru cheiroso
Nascente de água clara, doce

Irmã Dulce


Refúgio, candura, regaço
A vida mais boa que ruim
Um modo de voar
O céu para onde vamos -aqui já chegamos
Suave presença
O estar bem
Energia que eleva
Enlevo em sentimento
Religião universal
Língua de todos os povos
Política de todas as nações

Felicidade
A mão, a mãe de Deus
As marcas que deixamos entre nascer e morrer
Ninho, fonte e  horizonte
  O amor é a nossa lei!