segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Mensagem

Brilhe tua estrela
Paz é teu destino
O bem é tua estrada
Ser feliz, tua missão,

coração,
finda as lágrimas na fé
Não antecipes saudades
Não te amargures em dores 'inda vindouras
Teu corpo tem um tempo exato
Tua alma tem um tempo todo
Tuas angústias serão diluídas
em algum tempo
Tua áurea boa será destroçada
em tempo nenhum

As estações se renovam
As cores do poente não desbotam
O sol não perde a hora:
beije agora. Os beijos são lampejos,
e devem ser imediatamente estalados

Veloz corre o rio, as nuvens do céu
Veraz o abraço de mãe, o cuidado de pai
Glórias ao hoje, aos domingos com almoços, às tardes com chás,
e todos os dias duros, mas quase sempre lindos
A vida à vida exorta:
nem ouse cerrar essa porta!

A humanidade evolui
-lentamente, mas evolui
E nós caminhamos
-de mãos dadas ou não, mas caminhamos
Doenças são curadas, tiranos são abatidos, leis são cumpridas,
consciências humanas vão sendo desenvolvidas...
mesmo que a ferro e fogo,
mesmo que devagar - mas sempre
Vamos abrindo as janelas
-com grades, apesar
Aleluias à amizade, à flor, ao amor,
à oração arrefecedora de dor!

"Esperanças vencem medos"
"Esperanças vencem preconceitos"
"Sim, nós podemos!"
O sonho não acabou...
O show tem que continuar...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

pouca letra em verso menor

Paz, amor
Terra em flor

Boa ação
Deus na mão

A vida o que é?
Cruz e luz

Canção de paz
em Jesus

Tudo o que há
tu mesmo te dá

Do nada se tira o nada
Do fazer se tem o pão

A glória nessa nau
é bruma e brisa

Ao rei de si mesmo
breve é o brio

O que mais vale
são os verdes vales...

Lindo e leve é o céu
e o silvo das aves, fiel

Brilha ao sol
o atol

Prata lua
-é tua

O tempo seca as maçãs
Dão-nos grãos as manhãs

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

poemaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Abençoar as aves
Agasalhar as avós

Acarinhar anjos, arcanjos
Abarcar amigos
Asilar a África
Alimentar o Haiti

Ajudar alguém

Amputar algo algoz

Alforriar os animais
e as andorinhas andarilhas

Em áurea aurora, se afeiçoar
No antro da avareza, se arrefecer
Nos ares azuis, se alar
e se aventurar até o atol

Adornar-se de açucenas adoráveis
Alegrar-se nas albas águas
Alçar os altos nas asas das águias...

Alojar no âmago, aromas:
arrudas, azaléias, anis,
açafrões e alecrins

Apaixonar-se por artes agradáveis
Apaziguar-se em árias augustas,
harpas harmonizadoras
Abstrair-se em arquiteturas astutas

Amansar-se nas alamedas amarelas
-as alongadas amarílis

Afugentar-se da agonia da alcova,
dos álcoois, ácidos alucinógenos, alcatrões abomináveis

Adorar ao Altíssimo:
alicerce anímico, âncora, amparo,
absurdo, absoluto amor,
adocicada amora. Amém.