segunda-feira, 30 de maio de 2011

A que se destina o amor?

Da humana essência ser a resplandescência

Da singeleza ser a beleza

Do desencanto ser o encanto

Da amargura ser elixir em doçura

De Jesus ser a luz

Do jardim ser o jasmim

Do delírio ser o lírio

Do bom humor ser a cor (e o sabor, e o odor)

Do bem ser essa magia
que a todos modificaria

Da poesia ser a canção

Da mãe ser a mão

Do grão ser a raiz

e a paz da alma feliz