segunda-feira, 27 de junho de 2011

Filhos

Plena luz
Plana vereda
Leve júbilo sem peso
Livre infância sem fim
É amor que se pega na mão

Para o calor, brisa
Brasa para o frio
Para o botão da minha blusa,
casa
É amor que se pega na mão

Brandas vozinhas que nos afagam...
Desafogam nossas mágoas,
esses magos arcanjos mágicos...
(amor que se pega na mão)

Das tardes as cores, coros
sublimes. Cândidas carinhas!
Plácidos são os caminhos
aos teus carinhos
É amor que se pega na mão

Essência floral,
fonte cristal
Donde fronde o horizonte:
austral ser divinal
É amor que se pega...