segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Amar o mestre

Ó ser excelso, sábio e benevolente...
que destinos ilumina e joias lapida...
Árdua é a luta, mas linda é tua lida
O amor que doas te volta de presente

Sabes do céu, da terra, da gente,
ó lume em ser, que a vida descodifica...
Esplêndido o mundo, e mais incrível fica
com tua áurea gentil e tua voz ardente...

Seja teu tempo, o dos carvalhos seculares
Seja tua bondade, uma escada ascendente
Fartas as bênçãos, caudalosas em mares

São doces os frutos, se boa é a semente
Marcaram teus passos tantos lugares...
Guiai-nos teu brilho, ó estrela candente!


Dedico este poema à professora e diretora Mary Cruz, pelo seu aniversário e pelo dia dos professores.