quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Sem drogas

Incrível sensação, 
a de galgar o real...
Certo da direção,
viagem natural

Nítidos sentidos,
mares sem tormentos...
Sonhos escolhidos,
sinceros sentimentos

Plena paz na natureza...
Falsa alegria no etanol...
Sem máscaras é que se vê beleza
no colorido atol

Que plácida a alma,
isenta de anfetamina!
O sumo da calma
vem da camomila

Às claras, com espírito de luta,
provar da vida, a amargura...
Beber do cálice da cicuta:
 perder-se em vale de loucura!