sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Jesus, o menino

Amor imenso
em aliança co'a fé:
contemplemos ternos
Maria e José

Gabriel anunciou
Maria aceitou
creu José
-era lindo o bebê de Nazaré!

Indicou a estrela-guia
a chegada de quem seria
autor de nossa alforria
-os reis Magos se encantaram co'a luz que o menino luzia!

E aquele momento terno
se perpetuou eterno:
Jesus embrulhado em farrapos,
Maria o acarinhava em seus braços...
-o rebento dos pais herdara os traços!

De palha, a manjedoura
De presentes: ouro, incenso e mirra
Cena de singeleza e realeza
-lagrimaram 'té os animais de alegria!

E a criança portadora de esperança
a felicidade conheceu nessa honrada família
E era tanto, tamanho e tremendo amor...
-faltaram palavras em minha homilia!

Lembremos assim de Jesus,
esqueçamos a injustiça da cruz
A infância brincada entre pipas e peões
Adormecia embalado por belas canções
e cândidas orações...

E era tão doce lar, e aconchegante ninho,
eram três pombinhos, bem agarradinhos...
Vivenciaram com paixão cada gota de existência
alheios ao vindouro amargo destino

E comiam uvas docinhas,
brincavam com as ovelhinhas,
nos campos cantarolavam,
nos altares a Deus adoravam,
e nem um pouco se importavam
por quem os sinos de Belém dobravam!