quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Natal atual

                                                                                                                                          
O Natal são pessoas
centradas em si,
pessoas centralizadas no ato de compra, 
 de venda, 
de troca,
pessoas concentradas no ato de valorizar a forma,
o vaso,
a estética,
pessoas focadas no ato de ater-se a si mesmas,
no ato de se atarem a seus caprichos...

O Natal são igrejas de pessoas ausentes...

Natal são pessoas
e seus passos apressados,
e suas belezas fugases,                                                                                     
e seus tempos velozes,
pessoas e seus egoísmos,
e seus orgulhos,
suas luxúrias e vaidades,
suas provisões em excesso...

Natais são mais aromas que gestos humanitários,
mais enfeites que alegria,
mais símbolos que significados...

Natais são mais ruídos que canções,
mais frenesi que reflexão,
mais distância que abraços,
mais luzes que caminhos iluminados...

Nossos Natais são os personagens, do presépio, abandonados...

Nossos Natais são bonecos inúteis,
bolas artificiais,
objetos supérfluos,
brilhos cegadores
a ofuscar o nascimento de um menino...