segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

zero oitocentos

As boas companhias em belos lugares...

As belas canções, as ondas dos mares...

Ventos uivantes em verdejantes vales...

Vozes familiares nos seios dos lares...

Da arca de Noé, graciosos os pares...

Românticas luzes em íntimos jantares...

Mágicas serestas ao sabor de luares...

As fontes, as flores, os arco-íris nos ares:


gratuidades da vida...
Coisas boas -as melhores
Eis de Deus, o amor!