sábado, 24 de março de 2012

Espírito maduro

O de quem cuida, com carinho,
dos trofeus conquistados

Surpreende a vida,
os velhos dias, as velhas noites...

Mãos ásperas de trabalho
(carinho suave vem delas)

Teimosia de se reerguer
um milhão de vezes...

Sem pudor...
declara seus sentimentos

Peregrina com confiança...
por sórdidas estradas

E na coragem convive...
com as dores que desmontam nosso mundo

Para cada injustiça,
oferece sua face de luta

Retidão de caráter,
esse sustentáculo de esperança!