quinta-feira, 12 de abril de 2012

O amor. De novo e sempre


A felicidade

na boa companhia vem

Na partilha do pão

vem também

O bem estar é para quem

convive com o bem



Quem se doa ao amor

se delicia em esplendor...



 
O amor...

Que faz das pessoas a humanidade

Que faz da poesia a melodia

Que faz da bondade

a esperança da eternidade

Que faz da saudade e da nostalgia,

vibrações de alegria



 
O amor, o que faz sentido

nessa seara, nesse saara,

nesse navegar, nesse pelejar





Filhos, pais,  paz,

amigos,

velhos vizinhos queridos,

colegas, cônjuges,

parceiros sem parcimônia,

Deus criador, Jesus redentor...

Ó almas, fruamos das fontes frondosas,

fulgurantes, infindas do amor...




do doce amor...

Regozijai, ó fígado!

Ó coração, regozijai!

No amor desatador de dor,

nesse fogo, nesse fulgor

-antônimo de tiro, tráfico, tragédia

e terror