sexta-feira, 25 de maio de 2012

O professor, a caminho da escola...

Ao professor, nosso afeto, nosso carinho...
Esse que pega metrô às cinco da matina...
Correnteza vence e no mangue patina...
Implode as pedras, no meio do caminho...

Pelos sertões poeirentos, lá vai andarilho...
Vai de ônibus velho, apertada sardinha...
Sobe o Morro do Alemão, desce o da Rocinha...
No tranco da bicicleta, ao balanço do trilho...

...assim chega nosso herói (nossa ternura!)
Sua sala singela, seu instrumento precário...
"inda ensina co' amor, doce figura...

Nosso carinho à mestra Ana, ao mestre Dário...
Aplainam as sendas para a geração futura...
São amigos fiéis no nosso itinerário...