domingo, 24 de junho de 2012

O amigo e a amiga -número dois

Sol
para as joias do atol
Candura
para a jornada dura
Para a noite escura,
lua

Vem, amigo,
minh'alma dorida te clama
Contigo, gozo. Comigo, drama
Quem ama...

traz o dom de amparar
O peso da cruz de Jesus
amigo é quem foi aliviar
Comigo, calvário
Contigo, o bom tom de consolar

Ai, mundo frio!
De feias vaidades
Cidades perversas...
As pessoas perplexas
já nem estão mais...

Dê-me vigor, viço,
amigo, amiga
Caminhar juntos ameniza
os ardis, as ojerizas

É de Deus a união das almas
Do céu desce graça e calma
Evapora ao léu as incertezas
O amigo, a amiga:
veraz fortaleza

Teu cajado, teu bordão
é estrela que guia
Paz frui do teu coração,
que jorra água da mais cristalina...

ofereço este poeminha para Adriana Paes