quinta-feira, 5 de julho de 2012

O homem de uma camisa só

Espantoso, o homem duma camisa só...
Descorada, enorme, desconfio de doação
A blusa, já fadigada, pega sol e toró
Rasgará um dia, dilacerando o coração...
A vida é meio amarga, imitando jiló
Frágil, delicada, feito bolha de sabão...
Será o pano uno politicamente correto...
Ou o monopano, miseravelmente concreto?