quinta-feira, 5 de julho de 2012

Reinaldo, o homem da camisa amarela

Reinaldo, porque é rei, não do gado
Rei da rua, rei do ponto, rei da luta
A cidade com seus nãos é seu reinado
O cargo do Naldo, ninguém disputa
Ele vende bagulho: chinês clonado
E seu almoço é uma verde fruta
Criatura que se vê, mas não se enxerga
A fome o definha, e o vento o verga