domingo, 19 de agosto de 2012

rabo-branco-de-margarette

Poucos viram o rabo-branco-de-margarette...
Beija-flor ameaçado, em menos de sete...
No museu assim, não há quem o poete...
Voando leve (no pensamento),
co'a cauda da pena branquinha...
Banhando n'água limpinha,
seu bico rubro ou laranjinha...
Livre e leve -no pensamento!