quinta-feira, 27 de setembro de 2012

vira-folha-pardo-do-sudeste

Vem a floresta se fragmentando,
a passarada minguando,
a rima gorando...
A ave, rara e restrita,
num pingo de floresta...
Ao poeta, o que resta?
Noticiar fim de festa...
É ave e poesia contrita