quinta-feira, 4 de outubro de 2012

sanã-cinza

Prefere caminhar a voar...
E se ocultar a cantar...
Melhor se esquivar a se mostrar
nas marismas frequentemente pastadas...
Sem estuários, a sanã...
Sem encanto, a manhã...
Perdeu o rubro, a maçã...
E tudo é beleza revoada...