sábado, 13 de outubro de 2012

Chorozinho-de-boné

É golpe baixo a construção de hotéis
à beira-mar, e de rodoanéis...
Vão-se os dedos, ficam os anéis,
e a saudade do ser indefenso...
Que já não espalha na mata a semente,
não mais cantarola festivamente...
Sua restinga é hoje, francamente,
ordinário grão no concreto infenso...