sábado, 13 de outubro de 2012

albatroz-real

Alvo, de penas escuras no dorso,
vem o poema, em tremendo esforço,
tirar a ave do fundo do fosso
-salvemo-la dos espinheleiros!
Em status de ameaça avançado,
o bico possante rosado...
E o poeta, desesperado:
sem magia os mares brasileiros...