quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Vale a pena o Natal

Vale a pena
o Natal
se te arranca um suspiro
anormal

Vale a pena
o Natal
se a luz do bem,
sob a senda do mal

Só vale esse dia
especial
se a pressão não sobe
no sal

Se no jardim
desse umbral,
floresce o bem,
fenece o mal...

E se nasce Jesus 
triunfal,
e seca tua face
lacrimal...

Vale a pena 
o Natal...
Se a finança sobrevive
à saga comercial

Se cai o movimento 
no hospital,
no posto policial,
vale o Natal...

Luzes, enfeites,
coisa e tal
Mas sem mangedoura
é cabal!

Se alem da festa
sensorial,
na esfera
do transcedental...

Se nasce Jesus,
ó meu jogral,
e emociona o coração
de metal...

Se não ofusca
o Cordeiro Pascal,
Noel,
vale o Natal!

Vale a pena,
afinal, o Natal:
se a união fraternal,
não teatral...