domingo, 16 de dezembro de 2012

O Natal mudou



Reflexão alguma...
Uma estrela, talvez...
Daquela noite,
pouco sinal...


Meu Deus, como mudou o Natal!


Banquete e presentes...
Presentes e bebidas...
A humanidade faminta
de essência divinal...


Meu Deus, como mudou o Natal!


Pensamentos egoístas,
uma ou outra ação cordial...
Delirante arde a paixão
pelo capital


Meu Deus, como mudou o Natal!


Olhos que só enxergam a si...
Olhos limitados, que só veem a vida
neste triste umbral...
Olhos vendados à beleza
do aroma da flor matinal...


Meu Deus, como mudou o Natal!


Viver o ano todo sem Cristo,
e não Lhe dar bola ao final...
Pais que não mostram as trilhas ao filho
nem o lume celestial...


Meu Deus, como mudou o Natal!


Destinos absortos
à velha nova ordem mundial
Crise global, greve geral...
Perdoe-nos, ó Pai,
nossos impérios de sal


Meu Deus, como mudou o Natal!