segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

POEMAS SOBRE O FACEBOOK

No face, sem ânimo


Na tela,
a unha pintada 
Mesma tela,
sem onça-pintada...

 A coisa de si
que se posta
 sob o coletivo
me prostra...

Fosca luz
ofuscada
Da paz, da ética
foscaluz

O ego no centro
do mundo
O olho do furacão
no centro

Sem metas:
abismo concreto
Já as obscuras,
medo!

Pura perda
-vento sem vento
Pássaro imóvel
-tempo