sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Infância no face

É céu sem pipa,
é chão sem pião
É grama intacta
-nenhum pisão

É livro mofando
(de lindas figuras)
È biblioteca-fantasma
de criaturas

É Drummond sem coroa,
Cecília sem leitor...
É bicho sem carinho
e água sem flor...

É matemática ruim,
é linguagem pilhada...
O celular no face:
é mente travada!

É amizade distante,
sem graça...
Sem cumplicidade
e sorvete na praça...

É tudo novo,
diferente, veloz
É tempo e vida se enrolando...
em retrós