terça-feira, 30 de abril de 2013

Besouro

O que será de mim
sem alecrim

e besouro no jardim?
O que será de ti, ó Joaquim

se a barata no capim
não acha espadachim?

Do zumbido, o fim:
o veneno no xaxim,

e aquecimento -estopim
De doer o rim...

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Galinha

Asa sem voo
Lucro sem erro

Carne, ovo, pena
granja e genocídeo...

Triste sem canção
o quintal pipocando...

barata! 
E a galinha, 'tadinha,

sonhando minhoca fresca
matinha...


sexta-feira, 26 de abril de 2013

Gato

Faz dos insetos, brinquedos:
felino de cinco dedos

Rom rom rom agradável
facilmente poemável...

Limpo, sutil, delicado
Natural caçador dedicado

que ataca de surpresa
a barata indefesa (rsrs...)

Presenteando o seu dono,
devolvendo meu sono...

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Aranha

Boa fiadora:
teia de aço

Captura e suga
persona non grata ...

Ferrão, oito olhos, garra,
limpando casa

...fiando na sorte:
caçadora e não caça

terça-feira, 23 de abril de 2013

Lagartixa

Inimiga do meu inimigo,
minhamiga osga...

Jacarezin' de parede,
minha ternura, afeto...

No teto tal homem aranha
-admiração, carinho...

Lagartinha de sangue frio,
charmosa és ao sol...

Camaleão de mil cores: 
fuja de gato e serpente!

 

Poeminha da barata

Couro e casca
antena, patas
A pior das visões:
baratas!

Bichos escrotos
Esgotos, sapatos
(dos Titãs)
 Idem ratos

Mandíbulas duras
roendo pensamentos...
Reduzindo ao pó
os ventos

Contactar-lhes
é golpe baixo...
Subindo às pernas,
enrolando nos cachos,

barangas vão
emaranhando tudo...
Saiu poema
-sisudo
 

domingo, 21 de abril de 2013

Veneno para baratas

Veneno, doce veneno,
poesia pra lua...

Veneno, fogo amigo,
azul pro mar...

Ônix mui belo,
veneno precioso...

Manjar pro inimigo
e meu anjo da guarda...

Baratas domésticas

Eu falo de um sossego suspenso
e de apetite cortado...

Eu falo de um grito estridente
e de sono assustado...

Eu falo de um pesadelo febril
e de arrepio assombrado...

Eu falo de um lar doce lar...
em campo minado

sábado, 20 de abril de 2013

Ninho de baratas

Embrenha a vida
em gruta escura...

Úmida brota...
em grota oculta

Em breu de greta
brilha intenso

o grão gosmento,
 o grude denso

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Terapia

Barata-ludicidade
Eu criança

Barata com bandeira branca
Sem ataque

Barata   Ser
 Mito   Monstro

Barata inseto
simples assim

quinta-feira, 18 de abril de 2013

spray para baratas

"Terrível contra os insetos"
e meu mundinho

Elimina barata
e canarinho

O que "protege a família"
e expõe Pedrinho

Intoxica, e
não pedala o Robinho...

E nem adianta
beber leitinho... 

Melhor então,
no sapatinho...

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Matar baratas

Quando explode
assassino o instinto

Quando a arma
o alvo mira

Quando o prazer
como chocolate

Quando há culpa:
karma, pecado

 quando não,
necessidade...

Quando o CRÉQUI
me condecora

Quando o sangue
branco* me acalma

*baratas tem o sangue branco

terça-feira, 16 de abril de 2013

Baratas de esgoto x baratas silvestres

As invasoras
-ou benfeitoras

As que merecem ser banidas
-ou protegidas

As asquerosas
ou -pasme- garbosas!

As que tiram a alegria de mim...
-ou politica-corretas, as do jardim...

Sociáveis são
(ou não)

As que nos covalecem
-ou nem aborrecem

As que causam doenças neurológicas
-mas há as ecológicas

Desatinadas
ou equilibradas,

existem baratas
e mais baratas...

Pragas mundiais
-ou compreendidas jamais

Ameaçam casamentos
-ou reciclam excrementos

São troféus se cadavéricas
-ou um triste fato

São as baratas domésticas
Ou as do mato

Eternas baratas

Abomináveis pragas
que infestam este mundo!

Nas gretas
nas gavetas
nas canaletas
nos infernos

quentes
escuros
úmidos
gordurosos

proliferam

os olhos (míopes?)
nos espreitam...



Sucumbirão um dia os homens
Imperarão as baratas

com ou sem cabeças *
sem ou com asas

Vão trocando de casca
Vão resistindo aos venenos
Vão infartando as mulheres
Vão enojando a vida
Vão...

sonhando o tempo
do planeta esgotado


*as baratas sobrevivem até uma semana sem cabeça