quarta-feira, 8 de maio de 2013

Nossas contendas... tempestades transitórias

Nossas nostalgias... ínfimas marolinhas

Nossos devaneios... orvalhos efêmeros

Dessas nossas vaidades... não sobrarão pedra sobre pedra

 Nossas ninharias... perder-se-ão nos tempos etéreos

Nossas futilidades... olvidadas serão nas funduras abissais

Nosso altruísmo, porém... 
estórias contadas nas esferas intersiderais!