domingo, 21 de julho de 2013

É o Natal que...(poema número oito)

É o Natal, que
sonho...
do convívio fraternal
das vibrações positivas
da devolução do ânimo
da visão da luz divina
do abraço de Deus...

É o Natal, que
delírio...
do fim do vício
do fim da coca, do crack
do fim da coca, da copa
do fim da batata chips
do fim do chopp
do fim do shopping 
do fim do circo sem pão

É o Natal, que
delirando pede...
a virada de mesa
a criação da consciência
o livramento do excesso
o suprimento da escassez
o movimento
o fim do sedentarismo
a libertação do consumismo
a emancipação dos animais

É o Natal, que
utopia...
Ser mão que não rouba
Ser mãe que não mata
Ser um não que educa
Ou um sim que alegra
Ser coração quebrantado...

É o Natal, que
Natal?