sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Natal no lixão

Natal banal,
meio de lixo
Sapato furado
seria um luxo

Natal no lixão
forra o bucho
Atiça lombriga
do gorducho

Caco de boneco,
e é guri feliz
Caco de vidro,
e é cicatriz

Velho e moço
no mesmo caldeirão
Brigando por sobras
urubu-ladrão

Campo de guerra,
campo minado...
Jesus visse,
teria chorado

Um ar
cheirando a cola...
Natal no lixão
não rola