quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Poema de Natal sem Natal


No dia fatal
do decúbito dorsal
não há Natal

Natal no hospital...
Em coma
Na cama
Na maca
Em estado terminal
não há Natal

Natal no Instituto
Médico Legal...
No exame visceral
Na nossa hora
mais animal
não há Natal

No presídio onde
baixa o cacaual

Na eternidade que 
aguarda o Pascal

Na alcova sob
odor amoniacal

Não há Natal...

No âmago
que não conheceu
amor maternal

 Nos olhos
que não se abriram
no frescor matinal

No amor que não
vingou, coração
de metal...

Não, não há Natal...