quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

O Natal no Hospital do SUS

As lágrimas para o Natal...
E o ferro duro para
as dores dos pobres

O Natal em lamúrias...
E o abandono para
corpos em chagas

E o Natal da vergonha...
Nas estribarias,
odor de ovo estragado

A criatura vexada...
Humilhado semblante
pelos cantos jogado...

A multidão em coro,
em choro...
Natal frio de neve

Natal vazio
de atitude de amor:
o humilde desertado...

Natal dos governantes
em seus castelos 
pelo povo edificados...

Dos parlamentares acomodados,
nos lençóis alvos
de hospitais privados...

Injustiça social:
do tratamento vip
ou desonra moral...

Saúde desigual...
Onde repousa um,
doutor algum

O banzo em pleno Natal...
Num banco áspero,
o desdém dum parto