sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Amigas arrependidas (número dois)

Lamuriemos juntas, amiga...
Nós, que esbanjamos a chance
do menos imperfeito romance...
Deixemos que a torrente prossiga

aspirada pela memória rica:
a alegria mais esfuziante...
Nós, que descartamos diamante,
vertemos lágrimas em bica...

Escorrerá assim a vida, 
entre o sonho e o real...
A saudade amortecida,

vem da rede social...
Teia de amor tecida,
com fios de vendaval...