segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Estrela primeira

Há um nome que me tira o fôlego,
há um nome que me soa flauta...
Uma certa voz que me assalta,
que ataca o meu fígado...

Há um cântico antigo e mágico,
há delírio e febre-de-malta...
Há um colóquio e sua falta,
há um ponto, e nevrálgico...

Uma ave altaneira
há...E uma estrela,
da noite primeira...

Uma era inteira
atrelada a estrela...
Ah! Da noite faceira...