segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Peço-te perdão...

Pelo eu te amo não revelado,
o meu afeto não admitido...
Oferecer-te pão amanhecido
e um café requentado...

Pelo semblante amarrado,
por não dividir contigo:
a amizade, o figo,
o por-do-sol dourado...

Por não o ter esquecido,
pedir perdão ajoelhada:
ainda o trago comigo...

Peço perdão, ó meu amado...
Sentir-me ainda aturdida:
o beijo no cinema roubado...