sábado, 4 de janeiro de 2014

Sobre depreciar e desapoderar

Errar é compreensível, 
mas os erros abduzem
estrelas que luzem
no azul incrível...

Um ato inteligível,
as faltas traduzem...
As falhas conduzem
a privação horrível,

perder um tesouro...
Nunca mais deparar
co' grato mouro...

Erro mor, não prezar
o valor do ouro,
lançando-o ao mar...