quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Mulher-zumbi

A flor ideal pro mel,
a lua cheia pro breu...
Pro beija-flor gineceu,
e azul pro céu...

O dedo pro anel,
que ele me deu...
Da minha mão escorreu,
o meu troféu...

Os olhos pras brumas
que se desfazem no mar...
Vai e vem de espumas,

a me lubridiar...
São oscilantes plumas:
ser, sem estar...