domingo, 27 de abril de 2014

O que leva a Beth Zhalouth a correr atrás da bola?

Esta mulher,
que acordou pra vida...

Atrás da bola, do sol,
da peteca...

Atrás de hidro,
praia, academia...

Esta mulher,
quer prorrogar seus ais...

Adiar o túnel
do retrospecto...

Esta mulher,
igual a todas...

Quer ver seu filho 
lindo de beca...

Atrás da bola,
limpar coronárias...

Pra cuidar
-não ser cuidada

Queimar gorduras,
ajeitar coluna...

Curar o estresse,
o desalento...

Esta mulher,

igual a tantas...

Quer ver as rugas
sulcando a pele...

Quer ver Marte
bombando vida...

Ou simplesmente
a aurora próxima...

Esta mulher,
estas mulheres...

Atrás da bola,
na frente do tempo...

sábado, 26 de abril de 2014

O que leva a viúva a correr atrás da bola?

O seguinte cenário
tracemos no imaginário:

a mãe e seu filhinho
brincando de cabritinho...

No campo verdejante,
talvez lamaçante...

Fazendo lançamentos,
não disse lamentos...

Pipocando a bola,
livre do cartola...

A vida leve segue,
o som é reggae...

Driblando a tristeza,
perto da natureza...

Pulando e sorrindo,
o banzo excluindo...

Mãe se fazendo pai...
E isso distrai

duma saudade dura
que a bola cura

E a pipa, e o passeio
É amor-bombardeio

Cabeceando a brazuca,
massageando a nuca...

A mãe e seu filhinho,
brincando de cabritinho...

O que leva o cristão a correr atrás da bola?

A alma leve
e a robustez

remida, Deus
criador das bolas...

Voa o cristão
no campo, ave...

Asas de anjo,
amor goleada!

O que leva o americano a correr atrás da bola?

Impoemável esta,
posto que bola ovalada
desce indigesta 

O que leva o Neymar a correr atrás da bola?

O mesmo que Pelé,
o mesmo Pelé...

O mesmo que Garrincha,
o mesmo Garrincha...

O mesmo que Maradona,
por que não Maradona?

O mesmo que Neymar,
o mesmo Neymar...

O mesmo o que leva o garoto
do morro...

a jogar na Gávea,
no Gavião...

O que leva o brasileiro
de gíria, ginga

a driblar a moleza, 
são mórbidos dias...

O mesmo o que leva meninos
sul-norte

brilhar no Maraca,
mudando a sorte...

E o mesmo leva a paixão
à não morte

no peito, (e alegria),
ele contagia...

Neymar que leva e traz
na bagagem

exemplo pra gente
vencer a estiagem

Bola pra frente,
enchendo barragem

A chuva não veio,
crer na miragem...

Hora dessa ele treina,
e eu pego o busão

Porque Neymar venceu,
e é belo o pavão

É espreguiçar a carcaça,
se entregar não...

É sacudir a poeira
e amassar o pão

Hora dessa ele malha
e nos inspira...

Energia química, 
alcalina pilha...

Neymar que aspira
ideais sem fim...

Hora dessa no treino,
à luta, 'piniquim!

terça-feira, 22 de abril de 2014

O que leva o menino da escolinha de futebol a correr atrás da bola?

Lucros que se buscam
(e a infância é perdida)

Pressão dos empresários
(e o poema é frio)

A família quer grana
(e o menino quer casa)

O agente sangue suga
(do moleque exausto)

A escola é de futebol
(e o pequeno lê mal)

A escola é de grama
(mas o guri não é burro)

No alojamento aberto
(o menino exposto)

O aliciador...
(e o poema censurado)

O garoto atrás da bola
(e o sistema atrás dele)

Ele chorando baixinho...
(meu Deus, que maldade!)

segunda-feira, 21 de abril de 2014

O que levou o Paolo Rossi a correr atrás da bola?

Seleção da Itália,
de oitenta e dois...

O futebol poético,
do amor à camisa...

Naquele tempo
a fama, pela paixão...

Bons tempos:
a grana, pelo orgulho...

O Paulo Rossi,
que minguou nossa copa...

Que em nossa história,
escreveu seus três gols...

Educando-nos assim,
na humildade...

Pra sabermos aclamar
os talentos alheios

de outros povos,
de outras cores...

Aceitar a diversidade
do brilho estrelar...

E captar que há vida,
depois de uma Copa...


domingo, 20 de abril de 2014

O que leva o Sebastião a correr atrás da bola?

O que leva o Tião,
um simples cidadão...

O que leva o Zé,
o que leva o João...

Futebol pra esquecer
a pizza da corrupção...

'trás de bola pra dispersar
a fuligem do pulmão...

Esquecer o salário,
essa bolha de sabão...

E a zorra do metrô
-vai que é sua, ô Tião!

Futebol pra desenfartar
o trabalho, a pressão...

Brasileiro, um pagador:
tanto imposto, tudo em vão...

Vão correndo atrás de bola,
vão um milhão de Tião...

Com a corda no pescoço,
mas enfeitando pavão...

Já entrou no vermelho
e nem murcha a bola não...

Dá tudo de si no campo
e asas à imaginação...

Quem sabe um cartola o enxerga,
viaja na maionese o Tião...

Nos Emirados Árabes...
Sair do olho do furacão

Tirar de letra a vida,
e do dicionário, o mensalão...

Suando em bicas lá vai,
dar o balão, vai Tião...

sexta-feira, 18 de abril de 2014

O que leva as crianças do Sudão do Sul a correrem, em campo minado, atrás da bola?

Sobre o campo minado,
atrás da bola lá vão...

Pra libertar os sorrisos,
pra esquecer a guerra...

Pra viajar nos sonhos,
pra se sentir vivas,

atrás da bola, lá vão...

Encontrar os amigos
e alguma esperança...

Esquecer a fome
e a falta de rumo...

Lá vão os garotos
(e o campo é minado)

Guris da bela tez,
tenham cuidado!

Fruir da infância

que o mundo lhes nega...

Sobre o chão traiçoeiro,
mas não menos que a vida...

O que leva o torneiro mecânico a correr atrás da bola?

Operou a máquina,
e agora sua própria...

Deu acabamento nas peças,
e na jogada agora...

Quem cuidou do torno,
brinca agora em torno

da bola, essa peça
multi utilitária...

O que leva o deficiente visual a correr atrás da bola?

Avistar a vida:
novo ângulo

Vê-la com outros olhos,
novo ânimo...

Aperceber que o sol
a todos cinge...

Perceber no esporte,
novo horizonte...

Clarear a trilha,
co'a alegria...

Desencobrir o viço,
na ousadia...

Descortinar com o âmago,
que tudo vê:

o movimento,

seu poder de magia...

Correr atrás da bola,
trazer à luz

que a essência humana
plena reluz...

O que levou o Cafu a correr atrás da bola?

Foi cem por cento do povo
do Irene, seu Jardim...

Foi cem por cento de orgulho 
d'um Brasil raramente

cem por cento...

Foi o sonho do menino,
levantar a taça...

Foi o sonho do homem,
levantar o país...

Foi cem por cento de raça,
sem perder esperança...

Mais cem de humildade,
sem negar a origem...

Foi cem por cento emoção,
sem perder o foco...

Foi cem por cento a nota,
desta humana conduta...

Foi cem por cento o nosso
Cafu, 'inda o é...

Mil por cento de amor

erguendo a taça e a moral!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O que leva algumas pessoas a não correrem atrás da bola?

É malandro ao chão
simulando falta...

É zunido de zanga
e não é som de flauta...

Descortesia verbal,
vem em caixa-alta...

É golpe baixo,
sorte do astronauta...

A polidez dum povo
que faz tanta falta...


O que leva o presidiário a correr atrás da bola?

No túnel escuro,
o princípio da luz...

No poço, no fundo,
a salvadora tábua...

No mundo, submundo
onde a casa caiu...

Na cela, na procela,
malandro é o gato...

A hora da bola,
sair da gaiola...

A hora do racha,
quem procura acha:

dar a volta por cima
Pra imaginação, dar asas...

Dar tempo ao tempo,
ou dar um refresco...

Pegar um sol,
tapando-o co'a peneira...

Mais feliz do que
pinto no lixo...

E por cima
da carne seca...

É baixar a bola,
na boca do inferno...

É bola pra frente,
no barril de pólvora!


terça-feira, 15 de abril de 2014

O que levou o Mané Garrincha a correr atrás da bola?

Pontificar que a vida,
nos prazeres...

E que os músculos
tem coração...

Habilitar o pobre
em menino-rei...

Adestrar o orgulho
em humildade...

Fazer cantar
seu povo triste...

E a ave presa
fazer trinar...

A ginga do drible
para bailar

feito pássaro,
na chuva a dançar...

O homem vexado
para se erguer...

A rotina dura
pra se encantar...

Suas deficiências,
e desdém fazer...

O anjo do poeta,
das pernas tortas...

Driblando e revelando
bocas sem dentes...

Vencendo e brindando
festas sem repasto...

Escancarando Brasil
genuíno e seduzido:

insustentáveis oásis,
refrigérios fantásticos!


domingo, 13 de abril de 2014

O que levou a Seleção Brasileira de 70 a correr atrás da bola?

Selar o destino:
a melhor das melhores...

Estrelar Pelé, 
Gerson, Jairzinho...

Reluzir Tostão, 
Rivelino, Piazza...

Cintilar
Everaldo, Clodoaldo...

Luzir
Brito, Carlos Alberto...

Fulgurar
Félix, o maestro Zagallo...

Flamejar
os craques, os talentos, os gênios...

Fazer arte pura
em meio a ditadura...

Fazer dos passes,
cirurgias precisas...

Fazer das cabeçadas,
tiros certeiros...

Fazer das jogadas,
histórias eternas...

Fazer dos chutes,
lendas memoráveis..

A campanha impecável,
em momento inesquecível...

E o vocábulo Glória,
em literatura vindoura...

Confirmar o futebol
como ópio do povo...

Fartar-se de bola,
como comida no prato...

Lavar a alma
na magia dum espetáculo

que faz de forte
o meu país tão frágil!

sábado, 12 de abril de 2014

O que leva o time do Cruzeiro Esporte Clube a correr atrás da bola?

Sob o azul que pinta o céu,
sob o azul que pintalga o mar...

Capturar as taças,
cativar as massas...

Deliciar-se co'o futebol
Deleitar-se, os raios do sol...

O azul que cobre a Terra,
o azul que colore o olhar...

No céu as estrelas
do Cruzeiro do Sul...

No peito, as estrelas:
Tostão, Dirceu, Raul...

O azul que matiza este manto,
o azul que tonaliza este canto...

Os brados triunfais
que ecoam das Minas Gerais...

A paixão mais febril, 
coração que arde Brasil...

O Mineirão azul reflete
Campo verde, azul se veste...

Azul que o universo acalma,
mesma cor 'ternecedora d'alma...

Troféus e glórias que absoluta,
a raposa conquista astuta...

O time que avante guerreiro,
da Toca pro mundo inteiro...

É o azul que sustenta este ar...
Mesmo azul do manto no altar!


quinta-feira, 10 de abril de 2014

O que leva o zagueiro a correr atrás da bola?

Lá vai o zagueiro,
travar o gol grito...

Lá vai o zagueiro,
saiu quase Zagallo...

Lá vai zagueiro,
anjo de guarda...

Zagueiro lá vem,
habilidade tem

salvar a pátria
e o campeonato...


O que leva a alma a correr atrás da bola?

Voar canarinho,
roçar o céu...

Bailar n'arena,
dar um chapéu

ao ninho que lá fora,
de cascavel...

Falar de amor,
fartar-se mel...


O que leva o time da Portuguesa de Desportos a correr atrás da bola?

A raça, a fortaleza,
é a Lusa, com certeza!

Botar as cartas na mesa,
virar a mesa...

Não sair à francesa,
no Brinco da Princesa...

Revelar a beleza
do futebol-destreza...

Estrela de primeira grandeza,
ah, minha Portuguesa...

Realizar a proeza,
o ataque surpresa...

Desarticular a defesa
do adversor roda presa...

Fazer boniteza
em cima do João Moleza...

Sentir a firmeza
da família-realeza...

Ah, minha Portuguesa!

terça-feira, 8 de abril de 2014

O que leva o Club Atlético San Lorenzo a correr atrás da bola?

A bênção do Papa,
torcedor ilustre...

La sangre caliente,
Cuervos carrera...

São guerreiros
no papel de protagonistas...

São vencedores,
que bom pertencê-los...

Jogar com o coração,
é o que leva...

Sob encorajamento do povo,
é o que leva...

Paixão de ser Ciclone,
é o que leva...

Emoção latina,
é o que leva...

Atitude, personalidade,
mais cem anos de história...

Que o San Lorenzo,
graciosamente e grandiosamente,

leve leva...

O que levou o Tostão a correr atrás da bola?

Revelar a graça:
o passe, o drible

Agregar ao jogo:
raciocínio e visão

Pensar futebol,
agindo arte...

Brilhantar Pelé
e outras estrelas...

Igualmente astro,
(constelação)

Tostão!

Jogador técnico,
Mineirim' de ouro...

Todo metal de Minas
não o compraria...

Todas as eras,
ninguém o olvidaria...

De setenta a Seleção
das seleções...

No azul
do Cruzeiro do sul...

No coração brasileiro...

Nosso Tostão,
ao valor de bilhão!

O que leva o paulista a correr atrás da bola?

Dissipar a fuligem
do pobre pulmão...

Pingar alegria,
tua vida de cão...

No metrô a vida
escorrendo da mão...

Abolir o banzo:
no circo, no pão

O que leva o carioca a correr atrás da bola?

A feijoada depois da bola,
e antes dela também...

Mansa a maré,
amansa a vida que vem...

Alegria e futebol,
e o carioca detém

um estado de espírito
-que só ele tem

segunda-feira, 7 de abril de 2014

O que leva o mineiro a correr atrás da bola?

Pensar a bola,
um pão de queijo...

Ganhar a partida,
partir um queijo...

Mineirim esperto,
seja qual vilarejo...

Fazer um gol,
furtar um beijo...


O que leva o baiano a correr atrás da bola?

A rotação da Terra,
os elétrons dançantes...

Translação e giro,
dinâmica física...

Mundo que roda,
e com ele o baiano...

'inda bem que a bola,
que é roda, gira...

O que leva o capixaba a correr atrás da bola?

Sorver do mar
o sal, o mel

Pontal da Fruta,
'frutar o céu...

Suar em Suá 
 'trás de bola e sol...

Levar leve a vida:
mais belo atol

O que leva uma pessoa obesa a correr atrás da bola?

Desejo prolongar
os mórbidos domingos...

Tão 'vilhosos são,
os banais instantes...

Que se protelem passeios: 
cachorros, crianças...

Se desentupam veias, 
bombear a pujança...

Que trafegue livre
no próprio corpo

a rubra seiva,
tal pássaro livre...

Eu vejo o tempo
driblado e vencido...

Eu vejo o ciclo,
'novada primavera...

Eu vejo a esperança,
fácil  'vistá-la...

Luz qu'eu vejo,
fácil vesti-la...

Eu vejo a vida
saltando em campos

verdes nirvanas,
bom destilá-la!


domingo, 6 de abril de 2014

O que leva as pessoas felizes a correrem atrás da bola?

Seria o mesmo
o que leva um pássaro

cantar contente
sob a chuva...

Seria o mesmo 
o que leva a canção

voar céu azul,
festivo pássaro...

Seria o mesmo
o que leva a rosa

à amada Flor,
paixão mais rubra...

Seria o mesmo
o que traz e leva

o ritmo, a rima
o álacre vento...

A bola, a bala
a pipa, a vida

na leveza do bolso
se lava, se leva...