quinta-feira, 17 de abril de 2014

O que leva o presidiário a correr atrás da bola?

No túnel escuro,
o princípio da luz...

No poço, no fundo,
a salvadora tábua...

No mundo, submundo
onde a casa caiu...

Na cela, na procela,
malandro é o gato...

A hora da bola,
sair da gaiola...

A hora do racha,
quem procura acha:

dar a volta por cima
Pra imaginação, dar asas...

Dar tempo ao tempo,
ou dar um refresco...

Pegar um sol,
tapando-o co'a peneira...

Mais feliz do que
pinto no lixo...

E por cima
da carne seca...

É baixar a bola,
na boca do inferno...

É bola pra frente,
no barril de pólvora!