domingo, 13 de abril de 2014

O que levou a Seleção Brasileira de 70 a correr atrás da bola?

Selar o destino:
a melhor das melhores...

Estrelar Pelé, 
Gerson, Jairzinho...

Reluzir Tostão, 
Rivelino, Piazza...

Cintilar
Everaldo, Clodoaldo...

Luzir
Brito, Carlos Alberto...

Fulgurar
Félix, o maestro Zagallo...

Flamejar
os craques, os talentos, os gênios...

Fazer arte pura
em meio a ditadura...

Fazer dos passes,
cirurgias precisas...

Fazer das cabeçadas,
tiros certeiros...

Fazer das jogadas,
histórias eternas...

Fazer dos chutes,
lendas memoráveis..

A campanha impecável,
em momento inesquecível...

E o vocábulo Glória,
em literatura vindoura...

Confirmar o futebol
como ópio do povo...

Fartar-se de bola,
como comida no prato...

Lavar a alma
na magia dum espetáculo

que faz de forte
o meu país tão frágil!