sexta-feira, 6 de junho de 2014

O que leva o jogador Tinga (vítima de racismo), a correr atrás da bola?

De um homem o sonho,
sua luta e esperança...

Do esporte a alegria,
sua energia boa...

(é o poema negando
ignóbeis gestos)

Correr  na relva,
sob sol e vento...

Correr sob chuva,
companhia de amigos...

(é o poema negando 
as coisas mesquinhas)

É bola que rola,
e é vida bombando...

É barco que segue,
e a viagem, fantástica...

(é o poema negando
as baixezas humanas)

O lançamento perfeito...
tal boreal firmamento

Vibra arquibancada:
seus pais, seu país...

(o poema indignado
co'a torpe atitude)

Muito mais glórias, 
serem conquistadas...

E mais amor, 
mais vida, vigor...

(é o poema debochando,
dos preconceitos)

Ouvi gritos,
eram de crianças

Ouvi um gol,
quem armou foi Tinga

(é o poema se negando,
descer tão baixo)

O Tinga e sua história,
ser comemorada...

O Tinga e sua raça,
seu saber, sua força...

(é o poema abominando,
veemente, o racismo!)