segunda-feira, 2 de junho de 2014

O que levou o jogador Carlos Henrique Kaiser (o jogador que não jogava), a não correr atrás da bola?

O Rei, o Imperador, 
o Kaiser, o Soberano...

Mas o seu reino:
o da malandragem...

O esperto tinha 
pinta de craque...

Mas se a bola lhe 
roçava, era choque!

O Kaiser tinha 
porte atlético...

Mas a bola era
inimiga ingrata!

O Kaiser, que pra
jornal pousava...

Mas ninguém viu
o bonito jogando...

O Kaiser do Vasco,
Botafogo, Palmeiras...

Ninguém soube,
se ataque ou defesa...

E a molecada,
que venerava o Kaiser...

Mas o sabido era
171 e Pinóquio...

A maria chuteira
se jogava pro Kaiser...

Mas o seu herói,
de sal e de vento...

O Kaiser, 
a salvação pro Bangu...

Mas o astuto,
só departamento médico...

O Kaiser, quem mesmo,
esse Kaiser?

O que fez trapaça,
sobretudo consigo...