sábado, 16 de agosto de 2014

Visitante nº35

Ó Luz do Mundo, eis minha prenda:
impávida vida... pra Tua vivenda
Elucido, clarifico, a tua senda...
Ó Luz do Mundo que me arrenda,
o norteio pro nascente...
Crescente planeta de fogo,
fogo pungente...Alvoreja,
clareja, clarifica, cores do atol...
Sob meu lastro trina a ave, e é bemol...  
Ó Luz da luz do Mundo, sou eu o Sol