domingo, 8 de fevereiro de 2015

Poema em homenagem a Nelson Rodoveri Cuca

Por que o Cuca?

Posto que o Cuca,
persona grata,
de boa cuca

Não guardador de mágoas...
Ele, que não esbanja
as águas

Não diz às labutas
um não...Não anda não,
olhar ao chão

Tipo de pessoa, exemplifica...
Mostrando que a humanidade,
bonita

Pássaro de voo altaneiro...
Fosse tal conduta,
todo brasileiro

Moço bom que respeita...
Cuja presença,
o torto endireita

Bom vizinho,
fina educação...
Inclusivamente, seu cão

No skate, na prancha,
no rapel...Eu ficaria,
branca da cor papel

Dropando na pista,
voando baixo...
Não sossega ele o facho

De peito aberto pro raiar do dia...
Num horário tal,
que eu dormiria

Imagino Cuca, acordando o sol...
Sempre com provento,
seu anzol

Ele fia e confia,
as eficiências...
Disse alguém, deficiências?

Quem tece, no macio algodão,
tramas da vida...
Lavanda e limão

Na força, no foco, na fé:
Mais animado
que bloco de axé!

Na perseverança, na teimosia...
E mais doce
que ambrosia

Um ser do bem,
de ampla visão...
Sempre mais água, no feijão

Quem vive, cada dia,
motivação...
Eu nunca rimaria depressão

História forte de vida,
sacode emocional...
Bela igual Blumenau

Dum pai de família,
lindos filhos...
Versos sem trocadilhos

Que a vida é bela 
quando se sabe viver
-nunca esmorecer

No envoltório corpóreo
que nos é dado
(alugado),

escreve em nossa memória
o que não se dissipará:
sua História

Vida de vitórias
que firme segue...
Na ausência de escórias