quinta-feira, 5 de março de 2015

Anchieta dos passos,
jamais passam...

Aquele que caminha
e deixa seus rastros...

Aquele que realiza 
o sonho humano

De permanecer,
ao passar pr'outro plano...

Modela a nuvem,
e é poema eternal:

Maria do regaço
bálsamo maternal...

Aquele que passa,
e arrasta consigo:

micos e índios,
seus arqui amigos...

Aquele que devolve
as conchas aos mares...

O que transpassa,
o que transpõe os ares

com azuis olhares...
São dóceis os muares

Anchieta que livra
o nativo do chicote...

E do serrote a mata,
Aquele que livra...

Aquele que avista
a jóia e não pilha...

Devoto Ele abriga
as sementes da ilha...

Aquele que sonha,
o sonho universal...

De aventar da janela,
bosque andirobal...