terça-feira, 3 de março de 2015

Anchieta, o primeiro professor...
Foi por ideal, 
foi por amor

Professora a paz, 
Anchieta...
Caprichara na letra

E a letra não conhecera
nem lousa, nem palmatória:
prodigiosa memória

A história de Jesus,
coisas sobre cruz,
e ao final, cuscuz...

Anchieta, o primeiro professor...
Honrara o índio,
e o beija-flor

O teto de céu anil...
Mestre pioneiro
Apóstolo do Brasil

Agradara-se da aula
fora da sala de jaula,
a índia afilhada, 
a Paula...

Que sem teleaula
não matara aula...
Era sobre São Francisco,
e de Paula

Rasgara o Mestre o latim,
debulhara o tupi

Mais pra periquito-rei
do que Agnus Dei

Mais pro lado de urucum
do que dominus tecum

O modelo de educação
européia, formal:
bau-bau !

Ensinara em autos
co'a participação geral
-a base do coloquial

Em palco ornado de bananeira,
à sombra da canafístula-
verdadeira,

era paixão o Avis Rara!
Entre salvar-se em Cristo
e salvar a arara,

de empolgação
o Mestre pulara !

Sob o céu que amara,
sobre o Espírito Santo 
donde ecoara 'té
um lírico canto,

versejara Anchieta, 
pioneiro do Brasil...
Redondilha que perfeita,
posicionara o til