domingo, 8 de março de 2015

Debaixo do lírico
e do dramático,
caminha Anchieta,
tão carismático...

Leva consigo
um doce de figo,
este Homem-ilhéu,
de Emanuel...

Caminha Anchieta,
ares poéticos...
Seus atos pueris,
sim, éticos!

Ele é de Companhia,
a de Jesus...
Relação de jugo,
não O seduz...

Na pedra bruta,
lapidar diamante...
O Céu acessível,
o Padre avante!

São tupiniquins
e os tupiminós...
É zelo de Pai,
que roga por nós...

Veja os curumins,
tão extasiados!
Anchieta os pintou,
estão agitados...

No palco a guerra
entre o bem e o mal...
Ao final tem papa
com canela-de-pau

A impressão que se tem,
são tão felizes...
O céu de Brasilis,
mais belas matizes...