sábado, 14 de março de 2015

Por onde passaram
os pés de Anchieta,
brotou o coco, a jaca...
Abriu-se a violeta

Por onde passaram
os pés do Santo,
floriram poemas...
E plácido canto

Por onde passaram
os pés do Vigário,
alterou-se a bússola...
Do itinerário

Por onde passaram
os pés calejados,
ergueram-se poços...
Ao bater de cajados

Por onde passaram
os pés do Capelão,
melificaram-se as uvas...
Multiplicou-se o pão

Por onde passaram
os pés do Pastor,
pipocaram aldeias...
Rumo ao interior

Por onde passaram
os pés do Ligeirinho,
'inda trina o hino...
O canarinho

Por onde passaram,
e ainda passam,
os passos passados...
Presentes perpassam